Esta afirmativa é novidade para você? Acredito que não, mas continuo encontrando muitos currículos mal estruturados.

A agência de empregos Luandre fez um levantamento e detectou que 15% dos profissionais perdem oportunidades de emprego por ter um currículo ruim, que não conta com todas as informações necessárias para a avaliação do candidato. A agência recebe cerca de 70 mil currículos por mês, então estamos falando de aproximadamente 10.500 candidatos que são eliminados só por ter um currículo mal estruturado. (*)

Segundo o levantamento os erros mais comuns são: diversificar demais as áreas de pretensão, erros gramaticais, informações muito detalhadas e longas e, principalmente, não preencher o cadastro com todas as informações necessárias e relevantes, como dados de contato, experiências anteriores, nível de escolaridade e cursos, entre outros.

Fazer um currículo parece ser simples, mas não é bem assim. O currículo é a sua peça de marketing e precisa ser bem feito e estruturado. Nas palestras que faço dou algumas dicas como:

  • Só coloque informações que valorize o que você fez. E como se faz isso? Incluindo os resultados que obteve com cada atividade. Onde for possível, procure quantificar os resultados. Empregue números, valor monetário e/ou porcentagens. Qual foi o resultado? A quem beneficiou? Como?
  • Descreva as suas atividades em tópicos, nunca em texto corrido. Seja objetivo e descreva as atividades que você desempenhava. Pense no recrutador que vai ler o seu currículo. Ele tem que entender bem o que você fazia. Se sentir dificuldade peça para alguém ler e descrever o que você fazia.
  •  Não existe uma ordem rígida para a construção do seu currículo. Cada currículo é um currículo. O início deve ser o mesmo para todos, ou seja, coloque o título com seus dados pessoais, o objetivo profissional e o resumo das qualificações. Depois destes itens você deve colocar o que te destaca dos outros, pode ser a experiência profissional, a formação acadêmica ou idioma.
  • Coloque informação em ordem cronológica. Comece do mais recente para o mais antigo. Isso vale para experiência profissional, formação acadêmica e cursos de especialização.
  • Leia e releia o seu currículo. Não pode ter erros de português.
  • O ideal é que o seu currículo tenha no máximo 2 folhas.
  •  Objetivo do currículo é igual ao nome da vaga que você está se candidatando.
  • Só coloque informações que você possa comprovar.

Depois de reestruturar o seu currículo chegou a hora de divulgar. E como você pode fazer isso?

  • Cadastre em sites de emprego, consultorias de recursos humanos, redes sociais, portais do trabalhador e trabalhe conosco das empresas. Faça contato com os amigos, ex colegas de trabalho, a indicação é um excelente caminho. Você já parou para pensar que o seu futuro trabalho poderá surgir dos seus contatos?
  •  Sempre fale a verdade no currículo e numa entrevista de emprego. A mentira é detectada rapidamente e você poderá passar por constrangimento. A melhor opção é não focar no que você não tem e sim nos planos futuros como, por exemplo, mencionar interesse em especializações.
  • Só envie o seu currículo em PDF. Quando você compartilha em word (doc/.docx), ele está “aberto” e sujeito a sofrer mudanças de formatação.

(*) Informações extraídas do G1, em São Paulo 12/08/16.