Recentemente fui a um evento de RH e encontrei uma conhecida, conversamos sobre as palestras e tiramos algumas fotos. Fui compartilhar, mas eu não tinha o número do celular dela. Quando fui salvar o contato perguntei o sobrenome e ela me falou salva como Ana da empresa Z. Eu fiquei chocada com esta informação, como assim Ana da empresa Z????? Ela não tem sobrenome????

Eu já fui como a Ana da empresa Z. Por um tempo eu não tinha nem um celular particular, pois sempre utilizava o da empresa, então dispensei o meu número. Mas isso foi por pouco tempo, Ufa! Descobri recentemente que existem pessoas que estão num estado muito pior, não tem um e-mail particular, só usam o da empresa. Tenho percebido este tipo de atitude nas pessoas que estão há muito tempo numa mesma organização. Parece que perderam a identidade, mas não caiam nesta arapuca. Se isso acontece com você ACORDE AGORA! Com esta postura você estará se fechando para o mercado e perdendo a sua identidade. Sabe aquela pessoa que vive 24 horas para a empresa? Pois é, isso não existe mais e as organizações nem querem pessoas assim.

É importante entender que existe vida fora da empresa, que precisamos manter a nossa identidade, a nossa privacidade e ter outras amizades além daquelas que fizemos ao longo da nossa trajetória naquela organização. Eu entendo e concordo que devemos vestir a camisa da empresa, mas é fundamental perceber que é uma relação de trabalho e que a qualquer momento este vínculo poderá ser cortado. E, se isso acontecer o baque será muito maior para as pessoas com este tipo de postura.

A minha dica é adote a atitude de James Bond. Toda vez que ele se apresenta ele diz: meu nome é Bond, James Bond. Ele criou uma marca em torno do nome dele, é conhecido dentro e fora do seu trabalho. As pessoas o admiram. Ele é destemido, está sempre buscando algo novo para fazer, um novo desafio.

E como você pode trazer o exemplo do James Bond para o seu dia a dia?

  • Em primeiro lugar escolha o seu nome profissional, não precisa ser o nome todo. Escolha o sobrenome que você mais gosta e comece a se apresentar assim, com nome e sobrenome. As pessoas têm que saber quem é você, tem que conhecer a sua marca. Lembre-se do Bond, James Bond;
  • Participe de eventos da sua área. Se programe para participar, negocie com a sua empresa. Torne-se visível para outras pessoas;
  • Mantenha o seu perfil atualizado no Linkedin. Seja interessado, faça novas conexões e aceite as que solicitarem para você. Eu já fiz coaching com algumas pessoas que tinham o Linkedin todo fechado. Ninguém podia nem enviar uma mensagem. Então eu pergunto: pra que tudo isso??? Não se esqueça que o Linkedin é uma rede social com foco em networking profissional.

O que estou querendo dizer para você é faça o seu Networking em cima do seu nome e não da empresa onde você trabalha ou já trabalhou. A menos que você seja o dono da empresa aí vale adotar o Ana da empresa Z. Tenha a sua identidade profissional e pessoal e não se esqueça de que de que você é a sua melhor marca!

Se você gostou deste artigo compartilhe!

Abraços, Eliana Arruda

Coach de carreira e idealizadora do Laboratório de Currículos. Possui mais de 20 anos de experiência como executiva de Recursos Humanos e Gestão de Mudanças. Hoje compartilha a sua experiência auxiliando profissionais a se (Re)colocar no mercado de trabalho através processos personalizados de coaching e Workshops.